quinta-feira, 30 de junho de 2011

Menina Perdida



Não lembro muito bem de como tudo aconteceu.
Lembro-me de estar lá naquele mesmo local onde eu ficava todas as quintas, onde eu sempre me encostava na mesma árvore frondosa, cujo fruto eu não gostava muito, mas que somente ficava lá, porque aquele era seu fruto favorito.
Lembro-me de segurar sua mão, enquanto conversávamos sobre coisas inúteis, coisas que remetiam ao nosso passado, que me faziam sentir felicidade.
Lembro-me de olhar no fundo dos seus olhos enquanto eu pedia veemente que me beijasse, mas você não percebia o meu pedido, e acariciava meu rosto de uma maneira que só você conseguia fazer.
Você tinha um poder sobre mim, que me deixava vulnerável... E eu não podia fazer absolutamente nada para te deter, porque eu queria aquele poder sobre mim, queria você dominando minha mente.
Você levantou e me puxou junto. Ficamos de pé e quando percebi, estava de encontro ao teu peito. Teu cheiro delicioso invadiu minhas narinas e embaçou minha mente, fazendo com que eu não pensasse em absolutamente mais nada.
Teu queixo se apoiou em minha cabeça e você respirou fundo, relaxando os músculos enrijecidos. Percebi que algo estava errado, mas você pra disfarçar minha percepção, começou a beijar minha testa, meus olhos, meu nariz, meu queixo... De maneira leve e graciosa... Da maneira que só você sabia fazer.
Até que nossos olhos se encontraram e eu senti algo escorrer pela minha bochecha. Era uma lágrima. Levantei minha mão até meu rosto e percebi que aquela lágrima não era minha. Olhei-te novamente e te vi chorando. Tua lágrima foi até minha boca e eu senti um gosto adocicado em meus lábios.
Aquela era a despedida. Nem sei o que me doeu mais: te ver chorando ou ouvir o que me dissestes. Ias embora... Para sempre... O desespero bateu instantaneamente e as lágrimas que brotaram dos meus olhos começaram a rolar. Incontroláveis.
Você pediu silêncio com um chiado e depois pediu calma. Mais eu não consegui me acalmar. Até que você me beijou. Nosso primeiro e último beijo. As lágrimas que brotavam, em nossos rostos se misturaram, selando um pacto de amor.
Esperei tanto tempo por aquele beijo, mas não naquelas circunstâncias...
E quando você se afastou, e me olhou de novo eu vi o quanto me amavas. Aos poucos te separastes de mim, afastando-me delicadamente pra não me machucar mais do que já estava machucada. Beijar-tes meus olhos novamente, fazendo com que os fechasse.
E quando dei por mim, o lugar onde suas mãos estavam esfriou. Sua boca já não tocava mais a pele de meu rosto. Seu queixo já não pousava no topo de minha cabeça. E você já estava longe de mim, correndo por aquela trilha no bosque, sem olhar para trás nenhuma vez. Sem ver que eu estava perdida.
Sem ver que eu era somente uma menina perdida sem você...

2 comentários:

  1. Não sou o único leitor u_u
    Né gente?!



    Gente?...
    Gente...
    Gente...

    ResponderExcluir
  2. AIUHSDAIUHUIASHDIUAHDUIASHDUIASHDIUASDHUIADHUASIDH
    obrigada Tiago, você é o único sim -Q
    #apanha

    ResponderExcluir