sábado, 7 de abril de 2012

Garota Rock N' Roll


Tênis All Star com cadarço vermelho, lápis preto no olho e o cabelo solto esvoaçando ao vento. Ela sorria enquanto batucava no volante do carro ao som de sua banda de rock favorita. Era cedo ainda e o sol estava nascendo. Ela colocou os óculos escuros depois de procurá-los na bagunça do porta-luvas e começou a cantar junto com a voz que gritava do alto-falante. Aquela era a vida que ela amava ter, sem tirar nem pôr. Fugiu da sociedade repressora em que vivia com apenas 15 anos. Decepcionou pai e mãe e pensou que um dia pediria desculpas. Nunca precisou. Tingiu o cabelo de vermelho, roxo, azul e agora voltara ao preto. Percorreu cidades procurando por adrenalina, por algo que a mantivesse viva. Se envolveu com pessoas erradas e conheceu um cara que parecia ser o certo mas, para a vida que ela tinha, não existem pessoas certas. Experimentou a boca de outra mulher e sorriu maliciosamente ao perceber como as mulheres conseguem se entregar a um simples beijo. Fugiu da polícia e gargalhou buzinando por horas, o efeito que a fuga lhe fizera. Bebeu até cair porre no chão e ser amparada por pessoas que não conhecia. Cantou gritando que estava na estrada para o inferno e que adorava estar vagando nela há anos. Socou o nariz do cara que tentou abusá-la; beijou várias pessoas ao mesmo tempo; se perdeu no mundo para se encontrar no dia seguinte em seu carro com a banda de rock que mais gostava. Quase fez um pacto com o diabo, falou com mortos e o orou para que os deuses em que acreditava a perdoassem por todos os pecados que cometera e todos os que ainda iria cometer. Essa era a vida que ela tinha e que não largaria tão cedo. Essa era a vida da garota Rock N' Roll.

Um comentário:

  1. Ah, eu simplesmente amei!
    No fundo do meu eu reprimido, sempre quis ser assim...

    Tass.

    ResponderExcluir