quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Amanhã...


Amanhã quero que amanheça nublado, que o vento gelado bagunce meu cabelo e que caia uma chuva fina. Que os guarda-chuvas pretos dominem na rua, fazendo com que o dia se torne melancólico. Que eu vista alguma calça, tênis e um casaco que antes era dele, me protegendo do frio e sentindo o cheiro do perfume que eu tanto amava. Que eu vá pra universidade ouvindo Los Hermanos e que o ônibus esteja vazio, assim eu abro a janela e sinto o vento molhado no rosto. Que quando eu voltar pra casa ainda esteja chovendo, mas que esteja mais forte e que eu desista do meu guarda-chuva, deixando as gotas d’água lavarem todo o meu corpo. Que eu pule nas poças ao som de Tiê e sorria como uma criança brincando na chuva pela primeira vez. Que amanhã eu esqueça que ele existe, que por um mísero segundo meu sorriso não seja falso. Que amanhã seja outro dia... Que amanhã o dia comece nublado, com uma fina chuva deixando a cidade melancólica...

Um comentário:

  1. Me lembra essa época de final de ano de Belém, a chuva caindo pela manhã quase todos os dias. Texto lindo, sentimento triste. E que a chuva leve isso com ela.

    ResponderExcluir