quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O Fato de Desejar


Meus pés ficaram gelados rapidamente. Lágrimas começaram a surgir de meus olhos. Meu coração disparou. Não havia motivo para tanto, eu sabia disso. Mas mesmo assim não consegui me conter. Li cada palavra como se fossem as últimas, desejando que o fim não estivesse explícito. Não aguentaria tanto. Olhei o ponto -que não era o ponto final- e senti uma mistura de coisas me invadir. Senti ódio, saudade, tristeza... Vontade de responder com alguma palavra suja e com significado torpe. Não fiz isso, apenas chorei, igual aos outros dias em que chorava por causa de lembranças. O vento levou meu cabelo até os olhos e pequenas mexas ficaram presas em minha bochecha, no rastro que as lágrimas deixavam. Sorri meu pior sorriso. Deitei-me na cama e virei o rosto para a parede branca do quarto, as lágrimas não me deixando em paz. Então respondi sinceramente. Não podia inventar mais mentiras, aos poucos elas estavam me matando. Adormeci depois de responder. Não lembro que horas eram ou o dia que era. Só lembro que desejava não ter aquela conversa... Desejava não ter aqueles sentimentos... Desejava apenas poder respirar aliviada...

Um comentário: