terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Óbvio


Eles andavam de mãos dadas, conversando e sorrindo. Chegaram até o fim do caminho, onde havia um pequeno palco a céu aberto, então ela teve uma ideia e sorriu, puxando-o pela mão até o banco, fazendo-o sentar. Andou até o palco e pôs-se de pé para que todos a vissem.
-Bom início de noite, senhoras e senhores. Que lindo pôr do sol, não? Melhor ainda se você estiver acompanhado de alguém e apaixonado por essa pessoa. E eu posso dizer isso com plena certeza. Amor... O que é isso se não a certeza de estar sempre protegido? Nós humanos temos medo daquilo que pode fracassar, é natural. Temos medo de nos apaixonar, de ser magoado pelo outro e até de magoar esse outro. Mas aí encontramos alguém. E esse alguém te promete o mundo somente com o olhar, promete te fazer a pessoa mais feliz da face da Terra e você acredita. E aos poucos, - ela saiu do palco e foi em direção a ele, fazendo o gesto de pegar seu coração, entregando em suas mãos. – você entrega o que tem de mais precioso para essa pessoa. Porque sabe que ele pode cuidar tão bem quanto você cuida. – e sorriu, voltando ao lugar de onde saíra. – E por mais que essa pessoa diga que não pode fazer nada disso, você apenas sabe... Apenas sabe que quer passar a vida inteira com ela...
As pessoas começaram a aplaudir e ela se curvou, agradecendo a todos por ouvi-la. Desceu do palco e olhou para ele, que falava com um homem qualquer que partiu quando ela se aproximou, sem antes parabeniza-la. Ele segurou sua mão e voltaram a andar como dois namorados completamente apaixonados.
-O que aquele senhor lhe disse? – perguntou sorridente. Ele começou a ficar vermelho e a puxou para um lugar vazio, somente para beijá-la carinhosamente. Ela sabia que quando ele agia assim, era porque queria esconder a vergonha que sentia no momento.
-Você ainda continua vermelho. – riu. – O que ele disse pra te deixar assim?
-Pra eu nunca te perder... Porque igual a você não vou mais encontrar. – respondeu-lhe.
-Homem sábio. – falou rindo mais ainda. Então ela o beijou mais uma vez e disse que o amava. Ele passou os dedos pelo rosto macio e sorriu envergonhado. E em seu coração, afirmou o óbvio: que também a amava.

2 comentários: