quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Untitled I


Meu coração estava acelerado. Te vi sair do carro e caminhar, o sorriso bobo nunca antes visto estampado em nossos rostos. Cada vez mais perto... A vontade de correr tomava conta de nós, mas continuei parada com medo de qualquer reação involuntária de meu corpo. Então, num piscar de olhos, senti tuas mãos em minhas costas, o aperto necessitado do abraço tão e sempre desejado. Devo ter falado algo, não me recordo, só lembro-me do seu toque, do cheiro do seu pescoço, do seu corpo trêmulo e do nervosismo que emanava de você, do leve beijo que demos... De olhar em seus olhos, tão de perto, e não conseguir arrancar o sorriso de satisfação em te encontrar. Não existe palavra em qualquer língua desse nosso vasto universo que defina o que senti. Não existe pessoa no mundo que compreenda. Talvez, unicamente, você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário