sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Âmbar - Capítulo 13


No dia seguinte acordei feliz, apesar de toda a droga de confusão que havia me metido. Tinha os dois homens mais lindos da cidade apaixonados por mim, o que seria maravilhoso se eu também não estivesse apaixonada por eles. Sabia que teria que tomar uma decisão mais cedo do que queria, senão acabaria perdendo-os.
Fui para a aula e logo que entrei na sala, me deparei com Thiago e Felipe conversando seriamente. Sentei-me ao lado de Laura, que me olhou com certa preocupação.
-Já estou sabendo do que tá acontecendo... - disse.
-Desculpa, eu devia ter te contado... - suspirei, segurando minha cabeça com as duas mãos.
-Não se preocupe com isso... Bem, parece que você está numa bela enrascada só por essa expressão.
-Eu gosto dos dois... - murmurei.
-O quê? - Laura fez o favor de falar alto, chamando a atenção de todos na sala, que imediatamente ficou em silêncio. Eu vi a vergonha em seu rosto por ter virado o centro das atenções e pediu desculpas se aproximando de mim para se esconder. Não pude deixar de rir. - Como assim você gosta dos dois? Ficou maluca?
-Bem, se eu fiquei a culpa é do Thiago que ficou incomunicável e pediu pro Felipe “cuidar de mim”. - suspirei. - Nessas horas eu preferia ser maluca mesmo...
-Que história hein Diana...
-Eu bem sei. - sorri forçadamente. - E agora os dois estão conversando, sendo que ontem nem se falavam. Boa coisa não é...
-Nunca estive numa situação assim, então não posso ajudar muito, mas você sabe que pode contar comigo pra qualquer coisa. - sua mão afagou meu braço e eu não pude ficar sem sorrir de volta. Agradeci por ter uma amiga como Laura, apesar de ultimamente ter deixado-a de lado.
O assunto se encerrou após o professor entrar na sala e quando todos ficaram em silêncio. Olhei para trás e me senti fuzilada por ter dois pares de olhos cor de âmbar me encarando. Suspirei por me sentir mais ferrada do que já estava, se era possível.

As aulas terminaram e meio que me senti obrigada a sair correndo. Nunca tinha faltado uma aula de teatro e aquela não seria a primeira vez. Quando estava terminando meu almoço, Thiago e Felipe se aproximaram de minha mesa. Felipe sentou-se imediatamente ao meu lado e Thiago permaneceu ainda em pé. Olhei para os dois, receosa.
-Precisamos conversar. - Felipe disse.
-Bem... - falei limpando os lábios com um guardanapo e me aconchegando na cadeira. Olhei para Thiago ainda em pé. - Pode sentar se quiser, ainda tem cadeiras nessa mesa. - ele agradeceu e sentou. Não pude deixar de sorrir ao perceber mais uma diferença entre os dois: Thiago muito educado e Felipe um completo cara de pau.
-Nós precisamos ter uma conversa séria, Diana. - Thiago disse, fitando-me com os olhos que eu tanto amava.
-Bem, antes que comecemos acho melhor nos encontrarmos mais tarde, afinal não vou faltar minhas aulas extras por causa dos dois. Minha aula de teatro termina daqui a duas horas, podemos nos encontrar em algum lugar.
-Por mim tudo bem. - Felipe concordou. - Só escolha o lugar. - vi Thiago concordar e pensei um pouco.
-O barzinho perto da praia. - falei. - Todos conhecem. - os dois concordaram e em seguida me levantei para ir embora. Ainda olhei para trás por alguns segundos e vi um olhar preocupado vindo dos dois. Por um momento senti medo de perdê-los. Eu ainda não tinha me decidido.

Acho que nunca corri tanto na minha vida. E acho que nunca me senti tão nervosa. Não sabia o que eles queriam comigo e, devido as caras sérias que vi o dia todo, sabia que não era algo bom. Cheguei no barzinho e vi os dois em pé, num tipo de varanda que dava para o mar. Ver os dois juntos, rindo de alguma cosa, me deixou mais desconfortável do que já estava. Senti que minha decisão separaria os primos de alguma maneira. Me senti a “destruidora de lares”. Respirei fundo e me aproximei.
-Oi meninos. - disse usando minhas habilidades de atriz para parecer menos nervosa. Eles me responderam abandonando o sorriso e eu respirei fundo. - Bem, por que estamos aqui? - perguntei.
-Porque precisamos definir o que está acontecendo. - falou Thiago. - Concordamos que não podemos continuar assim. - disse apontando para o primo. Olhei para Felipe que concordou com um sorriso meio irônico. Nem nesses momentos ele deixava de ser um idiota.
-Precisamos de algo concreto. - disse Felipe.
Suspirei. Como aquilo era difícil, meu Deus! Me apoiei no batente da varanda e olhei para o mar, admirando o silêncio e a paisagem durante alguns segundos.
-Gosto de vocês. É complicado dizer o que sinto, realmente complicado. Mas os dois são especiais, cada um com seus defeitos e qualidades e foi justamente isso que fez com que me interessasse. Só não posso escolher, não consigo. Então não me peçam isso, pelo menos não agora, não aqui. Vamos aproveitar esse momento sem culpa, sem pensar no que poderia acontecer ou não. Porque, como já disse, estou afim dos dois. O que nós vamos fazer? Não sei... Ainda não sei. - falei sem tirar os olhos do horizonte.
Ficamos os três em silêncio, até que peguei a garrafa de Felipe para tomar um gole e depois a de Thiago. Rimos.

Senti minha cabeça mais leve após dizer todas aquelas palavras que se amontoaram em minha mente. E mais leve ainda por ver os dois me tratando como se fossemos amigos de longa data, sem nenhum problema a ser resolvido. A verdade apenas se escondera debaixo do tapete naquele momento.

Um comentário:

  1. Muahahahha... WTF!? Em certos momentos odeio monogamia... acho que é pq sou a favor de poligamia em historia, enfim espero que ela faça a escolha certa- que ela saia feliz dessa vez rs- AIAI Cristo! bjs até o próximo cap!

    ResponderExcluir